the days

‘And the days are not full enough’

And the days are not full enough
And the nights are not full enough
And life slips by like a field mouse
Not shaking the grass.

Ezra Pound

Lindo, né?

Não. É o poema que serve como antimodelo pra mim. Vez em quando me reconheço nele, só pra lembrar que é hora de pegar o lápis de cor e deixar cheio o vazio. Porque dias vazios são dias sem vida. Dias sem vida são menos um dia, sem criar nadica de nada (e não tô falando só de criar arte, não).

365 dias não cheios o suficiente são 1 ano vazio. 80 e tantos anos vazios são nada.

Vida que passa como um rato, que não faz mexer a grama é vida que vê a grama do vizinho ficando mais verde, enquanto reclama do tempo, sentadona na varanda.

Ah! E falando em tempo, quando tiverem um tempo, tem essa playlist aqui que fiz sobre a chuva. Fiz dia desses, e começou a chover quando eu estava no meio da confecção. Precisa de mais alguma coisa? : )

Clique para ouvir:

PS: Já olhou pra chuva como se você estivesse vendo ela pela primeira vez?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: