Palitos de Fósforo em nova caixa

Olá, leitores e leitoras!

2014 foi (já foi, pra mim já chega) um ano de muitas mudanças. Eu me mudei de casa duas vezes, me casei uma vez e mudei de opinião quinhentas vezes.

2015 será um ano de novos planos. Já redirecionei minha vida para muitas coisas. Em 1 mês ou 2 vou anunciar um projeto novo – e adoraria anunciar o fim do meu livro muito em breve. 🙂

Outra mudança que vai acontecer a partir de agora é a mudança de endereço do Palitos.

A partir de hoje, esse endereço não será mais atualizado. O Palitos oficial está em www.palitosdefosforo.com .

Sejam sempre bem-vindos e nos vemos lá!

monogram_2014-07-21_11-32-31

Um cartão de visita diferente

Se você for assistir a alguma coisa essa semana, assista a esse documentário

“Você tem que PRECISAR fazer isso. Se seus amigos não gostam, se sua garota não gosta, você bota eles para fora da sua vida.”

“Você não precisa ser o maior.  Você precisa ser você”.

“Eu prefiro encantar e entreter a qualquer outra coisa.”

Imagem

Esses são só alguns trechos de conselhos legais deste mini-documentário sobre Ray Bradbury, o escritor de ficção científica. Neste filminho, você tem 25 minutos de pura magia sessentista em preto e branco, com pérolas muito úteis para escritores e pessoas criativas em geral. Ele mostra o dia de trabalho do escritor, seu processo criativo e alguns trechos de um conto de terror de ficção científica que transforma uma tecnológica (!) linha telefônica em um monstro.

Se não for para assistir pelo Bradbury apresentando seu conto para os editores (tenso e irritante, e totalmente autoidentificável), assista pelos trechos em que ele fala coisas muito inspiradoras sobre o ato de criar – ou sobre bicicleta (“dirigir no trânsito é como um pesadelo de ficção científica”). Enfim, o filme é inteiro quotável. Faça um favor para você mesmo e assista. : )

de porque eu ando até meio adoentada por não parar de não parar

“… o moralista, o próprio filósofo só querem ver o criminoso: refazem o mal à imagem e semelhança do homem. Não têm ideia alguma sobre o mal em si, essa enorme aspiração do vazio, do nada. Porque se nossa espécie deve perecer, perecerá de repugnância, de tédio. A pessoa humana terá sido roída, lentamente, como uma trave, por esses cogumelos invisíveis, que, em algumas semanas, transformam um pedaço de carvalho em uma matéria esponjosa onde se pode enfiar o dedo, sem esforço. E o moralista discutirá paixões, o homem de Estado multiplicará guardas e funcionários, o educador redigirá programas – gastar-se-ão tesouros para trabalhar, em vão, sobre uma massa já sem fermento.

(Veja, por exemplo, essas guerras generalizadas que parecem denotar uma atividade prodigiosa do homem, quando, ao contrário, não revelam mais que sua apatia crescente…)”

Georges Bernanos, Diário de um Pároco de Aldeia

eu não sei dizer nada por dizer então eu escuto

viu só, o ano tá acabando! Consegui comprar todos os presentes necessários, todos são legais e gastei menos de 35 reais em todos. Isso, meus filhos, se chama força de vontade. Me propus um desafio, e venci. Cara, eu adoro comprar presentes. Eu adoraria ser o Papai Noel. É um desafio divertidíssimo acertar na medida certa o que a pessoa quer, o que a pessoa gosta, o que a pessoa precisa, mesclar com um quezinho de mim (porque todo presente meu tem que ter um pouco de mim. É lei), e ainda gastar pouco. Queria mesmo ter um cartão internacional pra importar umas preciosidades. Taí. Se você tem um e está disposto a me presentear (ou a um amigo muito legal que mereça), entre aqui e divirta-se. Tem muita coisa legal nesse site.

Dia desses conto pra vocês mais sobre esse mais um dentre todos os meus projetos pessoais, que é presentear o máximo possível de amigos, familiares e conhecidos, gastando o mínimo possível e personalizando bastante pra deixar as gentes felizes (e quem sabe um dia abrir algo especializado nisso).

Em 2009 começo de vez esse projeto. Aliás, 2009 é o ano do degelo de vários deles. Aguardem, senhores.

E eu queria saber, se é que tenho mesmo leitores aqui, o seguinte: andei pensando em juntar o Palitos de Fósforo com o Pargarávio, por uma questão de praticidade e de maior visitação! O que vocês acham?

Vocês prefeririam ver tudo junto no Pargarávio ou acham legal essa divisão (esse aqui continua monotemático – coisas mais criação e mais vida profissional – e todo o resto no Parga?)?

Fica a questão ok. Beijos.

rebecando #12

clique para ampliar. Tenho péssimas lembranças dessa tirinha – fui assaltada enquanto estava desenhando ela.  Isso me faz lembrar que isso aconteceu em 2006, e que essa foi uma das últimas que fiz :O. I must bring Rebeca back.

O tenso é que “daqui a pouco” eu me formo e acho que elas já estão datadas!

calourossaolegais.jpg

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: